Feeds:
Posts
Comentários

Acendo a luz para ver as horas: Quatro da manhã…  Isso lá é hora de acordar em pleno sábado?

Ficar virando na cama até amanhecer, ninguém merece…Vou levantar e ler o jornal…

Jornal? A estas horas? O jornaleiro só passa depois das cinco e meia.

Então só me resta recorrer ao computador. Isso mesmo, o computador: Enfim, descubro um atributo humano nessa máquina perversa que nos escraviza. É boa companhia nas madrugadas de insônia.

Ligo e vou direto ao resumo das notícias políticas no “Painel” do jornal Folha de São Paulo (virtual). Leio:

“PT pretende lançar um novo manifesto do partido como forma de se recuperar de sua maior crise em 35 anos. O novo texto resgataria a ética na política (…)” (A reinvenção do PT (21/03/15;)

Ética na política?… O PT?… Francamente.

Desligo o computador e saio para admirar a primeira manhã de outono, que este ano, despertou esplendorosa.

 

Antônio Carlos Roxo

Recentemente respondi questionário enviado por universitário, por achar relevantes as questões, transcrevo a primeira parte.

  • Quais as razões históricas do nosso estágio de desenvolvimento econômico e social. Por que temos esta conjuntura econômica no Brasil? – O Brasil foi uma colônia de exploração, e desde sua formação, a concentração de renda foi extremamente perversa. Além disso, foi um dos últimos países a acabar com a escravidão formal. O passado nos condena! Esses são fatores que formaram o se reverteu. Por exemplo, o minério de ferro que chegou a ser vendido por mais de US$ 100/T, hoje está girando em torno de US$ 50/T.
  • Qual sua visão do país no longo prazo? É otimista ou pessimista? Justifique? Sou otimista. Acho que o Brasil tem um potencial enorme e apesar de momentos problemáticos tem avançado. Um país deve procurar ter três seguranças: territorial, alimentar e energética. Não temos contenciosos com nossos vizinhos. Temos terra em abundância, sol e água (apesar do momento complicado), isto é, somos muito eficientes na produção agrícola. Não sofremos problemas sérios nesta área. A terceira segurança, a energética, com o pré-sal, o etanol e nossa matriz de energia ainda muita limpa ambientalmente, o parque eólico que se desenvolve, é muito propícia para o país. Estamos com “a faca e o queijo” nas mãos. A Petrobras é top de linha na extração de petróleo em águas profundas, desenvolvendo tecnologias ultras sofisticadas. O povo brasileiro é muito sagaz e aprende muito rápido.

 

  • Como você observa o processo de corrupção dentro do Brasil? Há alguma possibilidade de melhora e de diminuição dos níveis de corrupção do país? A corrupção é um grande mal, deve ser combatida. No entanto, o combate à corrupção deve ser sempre feito dentro das instituições e de forma republicana. Por outro lado, não concordo de que a corrupção seja o principal problema brasileiro, nem que seja exclusividade do país. Veja-se que os Estados Unidos invadiram o Iraque a pretexto de destruir armas químicas de destruição em massa que não existiam, mas contrataram a Halliburton   para a reconstrução do parque petrolífero, empresa que tinha como acionista o vice-presidente americano da época. Uma guerra em que se destruiu e desestruturou um país, a economia e a sociedade regional, com pretextos falsos, para garantir o domínio da riqueza petrolífera para mãos americanas. Pergunto: isso não é corrupção muito mais ampla? No entanto, não é computada no rol de ações corruptas. O grande problema brasileiro é a estrutura de distribuição de renda e riquezas extremamente perversa, que desemboca em problemas educacionais e, sobretudo, na injusta desigualdade de oportunidades.

Antônio Carlos Roxo, economista pela UFJF, mestre pela UFMG, doutor pela USP, é coordenador do curso de Comércio Exterior e Negócios Internacionais e membro fundador do Grupo de Estudos de Comércio Exterior e Relações Internacionais do UNIFIEO – GECEU.  É, também, analista da Fundação Seade e membro fundador do CICERO – Comitê de Incentivo ao Comércio Exterior da Região Oeste.

Respostas:

1 – Dudu Rodrigues

Certa ocasião avisamos um amigo que o filho dele era usuário de drogas. Ele retrucou de pronto: “lá no nosso condomínio, tem o filho do médico, a filha do advogado, até o sobrinho de um delegado de polícia”.
É comum as pessoas não encararem os fatos. Procuram descartar, empurrar com a barriga e sempre recorrem a um fato similar acontecido em outro local ou em outro momento histórico ou social. Por exemplo, o amigo aqui citado poderia dizer que nos Estados Unidos e no Iraque existem também, filhos que são nóias.
Esse partido que está no poder a quase treze anos promoveu a MAIOR CORRUPÇÃO que se tem notícia na história da humanidade. A coisa está acontecendo aqui no Brasil e não no Iraque e nos Estados Unidos. Porque querer tapar o sol com a estrela?!
O molusco barbudo está fazendo mudanças. O Partido não se reúne mais para discutir política. As reuniões agora, são para o jogo de baralho, que redundou em grandioso sucesso. O jogo preferido é o ROUBA MONTE.
Se quando você estiver lendo, por acaso der um espirro. Tenha certeza que eu gritarei: SAÚDE! educação, transporte, segurança pública e fim da roubalheira.

 

Minhas amigas e meus amigos osasquenses!

Domingo passado a população acompanhou indignada o depoimento da presidente Dilma Roussef. As  mentiras e a enganação das últimas eleições, continuam. Todos nós fomos enganados, no maior estelionato eleitoral da História. Não aceitamos mais as mentiras do PT. De forma organizada e democrática vamos,  neste domingo, demonstrar nossa indignação. Vamos às ruas protestar contra a roubalheira e exigir a construção de um país mais justo e mais solidário.

Nós, os osasquenses, também estaremos lá para mostrar que não aceitamos o abandono à nossa cidade e o desrespeito ao nosso povo.

Não vamos pedir o “impeachment”, mas vamos nos reunir na Avenida Paulista levando nossas bandeiras, nossas propostas e nossas ideias.

Claudio Piteri

 

 

IMPIXEMAM

J.C.S.HUNGRIA

Quando o povão, que pronuncia “galfos”, “malmita”, “menas” entre outras barbaridades idiomáticas ao invés do garfo, marmita e menos, mas sabe falar perfeitamente “impeachment” sem balbuciar, firme nas sílabas, quando isso acontece, como é o clima de hoje, sai de baixo que a situação está “pleta”…

J.C.S.HUNGRIA

GRANDE DEBATE

05
 Na foto doutor Hungria e doutor  Costa e Silva
 presentes no terceiro debate
O doutor Hungria, magnífico reitor, anuncia a realização do
“QUARTO GRANDE DEBATE UNIFIEO”
 aberto à comunidade de Osasco e região.
Onde: campus da Vila Iara
 Quando: maio
 Comissão organizadora:professores – Sandra, Roxo e Guaçu.
Encaminhem sugestões para o tema do debate, deste semestre
para um dos professores da comissão, até 31 de março.
 Aguarde: Maio!!!!
Vamos repetir o imenso sucesso dos debates anteriores?
Colaboração: Blog do Guaçu Piteri

Em política tudo tem de ser explicado, mas quando se explica muito é sinal que as coisas não andam bem. Nas últimas semanas, o ministro da justiça, José Eduardo Cardozo, tem se dedicado a repetir que o governo não interferiu na escolha dos nomes de políticos enviados pela Procuradoria Geral da República para investigação pelo STF. Apesar das explicações, a dúvida permanece porque faltou transparência na condução do processo.

Ministro e procuradorRodrigo Janot e J. E. Cardozo

Reunião do STF (Folha de São Paulo)

Fatos como os encontros, fora da agenda, entre o ministro e o procurador Rodrigo Janot, bem como a visita deste último ao vice-presidente Michel Temer, presidente licenciado do PMDB, na semana da elaboração final da lista de investigados, assanham a curiosidade e o imaginário popular.  Agora, a notícia dando conta de que: “Cardozo e Janot tiveram reunião secreta no exterior” – Folha de S. P. (08/03/2015; p. A10), dá novo alento à versão de que houve manipulação na elaboração da lista.

No episódio do mensalão, que envolveu políticos da cúpula petista, no Congresso e no Executivo, o processo transcorreu na mais perfeita normalidade jurídica e republicana. À época, não houve reclamações ou suspeitas. Os procedimentos, conduzidos pelo então procurador, Gurgel, foram transparentes e a autonomia da PGR foi respeitada.

É que, em política, transparência é o alicerce da credibilidade.

Coincidência?

MALUF1 – Do total de 34 congressistas investigados (22 deputados e 12 senadores), nada menos do que 21, ou seja, 61 por cento, pertencem ao PP (partido do Maluf). Quem acredita em coincidência, ignora o ditado inglês, que ensina:

“Pássaros da mesma plumagem voam em bando.” (birds of a feather flock together).

Se você estiver disposto a puxar pela memória encontrará provérbios, em português ou outras línguas, com significado análogo. Afinal, a sabedoria popular é universal.

2 – Dos 34 parlamentares investigados, apenas um pertence à oposição. Os outros 33 integram partidos da base de apoio do governo.

3 – Dois dos membros da CPI da Petrobras estão entre os investigados. Alguém acredita que a atuação desses deputados possa ser isenta? Num Congresso sério eles jamais seriam indicados para a missão e, se fossem, teriam a dignidade de renunciar.

 

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 29 outros seguidores